O desejo dos e-shoppers brasileiros por produtos internacionais

26 . 06 . 2019

O e-shopper brasileiro está cada vez mais engajado na compra de diferentes produtos por preços competitivos em sites internacionais, mesmo com as questões logísticas e aduaneiras.

e-shopper brasileiro compra em sites internacionais

 

É um desafio para os e-commerces globais interligar toda sua cadeia logística e garantir que suas operações ocorram de forma fluida na expansão dos seus negócios para outros países e continentes que apresentam oportunidades de crescimento. O Brasil, em especial, representa um grande mercado em potencial, oferecendo números crescentes e otimistas de vendas online e uma população altamente engajada na internet, sendo o 5° país com maior aderência às redes sociais.

Os consumidores brasileiros buscam sempre por novidades e produtos que não encontram no mercado local, ou procuram por preços mais competitivos do que os aplicados nas lojas brasileiras. Os marketplaces asiáticos, por exemplo, fazem muito sucesso por aqui, pois oferecem preços expressivamente mais baixos e grande variedade de produtos.

 

No entanto, esses merchants internacionais têm de lidar com os diferentes sistemas e tramitações de entrada de mercadorias e tributação de cada país onde atuam, o que muitas vezes torna a entrega ao cliente relativamente longa, podendo chegar a alguns meses.

De acordo com a empresa de Correios do Brasil, 80% dos pacotes internacionais que chegam no país são postados da China. As encomendas chegam em grande volume, aproximadamente 300 mil por dia, são processadas muitas vezes manualmente e, após aproximadamente 20 dias úteis, vão para o Centro Internacional de Curitiba (CEINT). Depois de um processamento de triagem realizado pela Polícia Federal, são mais 10 dias para a entrega na residência do cliente final, totalizando assim em torno de 40 dias úteis.

 

O que também pode atrasar mais o processo de entrega, segundo os correios, são as etiquetas fora do padrão, com informações faltantes, como CEP ou em baixa qualidade de impressão. Todos esses problemas exigem uma triagem mais apurada dos funcionários, o que atrasa o processo.

Estes fatores são bem conhecidos entre os consumidores, que já compram os produtos com a expectativa da entrega mais demorada. Mas os atributos e os preços de venda compensam muito a espera, sendo estes os grandes fatores de encantamento dos e-shoppers.

 

Um grande exemplo disso é o caso do Aliexpress que, segundo o portal E-commerce Brasil , já é a terceira loja online em vendas e em reconhecimento de marca no mercado brasileiro. Apesar da entrega dos seus produtos ultrapassar os 30 dias, o Brasil é o 2º país com o maior volume de compras cross-border no Aliexpress, perdendo apenas para a Rússia. As categorias mais populares perante o público brasileiro são: produtos para casamentos, moda, eletrônicos e joias.

 

Segundo Bill Wang, Diretor de Operações de Mercados Emergentes da Alibaba, “Os consumidores na América Latina geralmente estão acostumados a fazer compras antecipadamente, então eles têm tempo suficiente antes de precisarem dos produtos”.

O grande sucesso do Aliexpress também é devido à adequação aos métodos de pagamentos dos países onde atua, como o OXXO no México e o boleto no Brasil, ganhando assim participação de mercado. Portanto, aqueles que também desejam alto volume de vendas e reconhecimento de marca em países emergentes devem pensar e investir além da promoção, considerando a integração com gateways e processadores de pagamentos locais.

 

Quando falamos de mais de 70 milhões de e-shoppers, a adaptação ao mercado local vale muito a pena, atraindo assim os principais players globais do segmento de e-commerce cross-border.

 

O Bexs Banco oferece os principais meios de pagamento, assegurando que negócios internacionais atinjam todo o mercado brasileiro.

Related Posts

Leave a reply