Abandono de carrinho: 4 formas de evitar

27/05/2021

Os clientes do seu e-commerce desistem da compra na hora do pagamento? Saiba como contornar o abandono de carrinho.

 

abandono de carrinho

 

O abandono de carrinho é uma prática muito comum entre consumidores do mundo todo. Em suma, é como se, em uma loja física, um cliente colocasse alguns produtos em um carrinho e, no caminho para o caixa, desistisse da compra, deixando tudo pelos corredores. A diferença é que, quando falamos de e-commerce, esse comportamento pode ser mensurado, compreendido e corrigido.

 

Um levantamento da empresa de marketing Moosend aponta que a taxa média de abandono de carrinho no mundo chega a 69%. Na América Latina, o número é um pouco mais alto: 75,3% dos pedidos não chegam a ser concluídos.

 

O Brasil apresenta, ano após ano, melhores desempenhos nas vendas online. Em 2020, um novo recorde: o crescimento de 41% e a receita de 87 bilhões de reais. Os dados são da pesquisa Webshoppers 43, realizada pela consultoria Ebit/Nielsen e Bexs Banco.

 

Mas a quantidade de vendas perdidas ainda é uma realidade. Segundo a última pesquisa do E-commerce Radar, de 2018, a taxa de abandono fica em torno de 82%, variando de acordo com o nicho. Finanças e viagens são os mais abandonados, com taxa acima de 80%, enquanto gaming e moda apresentam 67,4% e 67,6%, respectivamente.

 

A boa notícia é que, em muitos casos, é possível melhorar os resultados otimizando alguns detalhes na loja virtual. Nesse artigo, você vai descobrir que fatores podem levar a um carrinho abandonado e como reverter esse quadro.

 

Abandono de carrinho: quais são as causas?

 

Evitar o abandono de carrinho é importante por, pelo menos, dois motivos. Em primeiro lugar, analisamos o retorno sobre o investimento em marketing feito para a aquisição de cada visita. É muito frustrante ver uma estratégia não ter o final esperado, a conversão. Em segundo lugar está a experiência do usuário dentro do e-commerce. É preciso garantir que ela seja simples, fluida e que transmita confiança. Ainda que ele não compre na primeira visita, se ele se sentir seguro e confortável durante a navegação, há como trazê-lo de volta por meio de uma estratégia de remarketing, por exemplo. 

 

Ainda de acordo com a Moosend, os motivos que os consumidores alegam para desistir de comprar são:

 

  • Frete caro
  • Obrigação de registro na loja
  • Checkout longo, com muitos formulários a preencher
  • Custos surpresa
  • Carregamento lento do site
  • Falta de confiança no site para informar dados sensíveis
  • Prazo de entrega longo
  • Política de devolução e troca inexistente ou insatisfatória
  • Poucas opções em métodos de pagamento
  • Cartão de crédito recusado

 

Como você pode ver, é fácil identificar esses problemas. A seguir, vamos compartilhar algumas dicas para driblá-los.

 

4 soluções para melhorar a taxa de abandono de carrinho

Antes de implementar qualquer mudança, convém entender como o seu e-commerce tem performado para traçar metas plausíveis. O cálculo da porcentagem de abandono de carrinho é bem simples. Divida a quantidade de compras finalizadas pelo número de carrinhos criados. Subtraia o resultado do número 1 e, por fim, multiplique esse valor por 100. Você encontra esses valores com a ajuda de ferramentas como o Google Analytics.

 

Por exemplo: No mês de abril, um e-commerce concluiu 80 vendas e verificou que 210 carrinhos foram iniciados. 

 

  • 80/210= 0,38
  • 1 – 0,38= 0,62
  • 0,62 x 100 = 62%

 

A taxa de abandono de carrinho para o mês de abril é, portanto, de 62%. A partir de agora, você está pronto para melhorar esse índice.

 

1. Logística

 

Considerando os dados da Moosend, existem 3 questões relacionadas à logística que podem estar atrapalhando a conversão no último momento: o valor do frete, o tempo de espera para a entrega dos produtos comprados e as soluções oferecidas para troca e devolução. 

 

Todas essas informações podem estar à disposição do cliente antes do momento de finalizar a compra, como uma boa prática de user experience. As páginas de produto podem ter um campo para cálculo do frete, por exemplo. Com relação ao custo, uma boa saída pode ser oferecer várias opções de empresas de entrega, ampliando a oferta em valor e prazo. Uma estratégia que nunca falha é oferecer frete grátis, pois é de fato um motivador no processo decisório, gerando um aumento das conversões. Considere essa saída para compras acima do ticket médio esperado.

2. Segurança

 

Um dos principais motivos que levam as pessoas a evitarem a compra online é o medo de golpes. Quase todo mundo conhece casos de produtos que nunca foram entregues ou de clonagem de cartões, por exemplo. O protocolo de segurança SSL e outros certificados antifraude presentes no seu e-commerce podem afastar a sensação de insegurança. A prova social, que aparece na forma de depoimentos de outros clientes, também é um recurso muito valorizado. O checkout transparente, que não redireciona o consumidor para outra página na hora de fechar a compra, completa a experiência.

3. Usabilidade

 

Comprar online precisa ser fácil. Se o processo é atrapalhado por falhas técnicas no site, se as páginas demoram a carregar ou se a estrutura do e-commerce não é otimizada para mobile, as chances de o cliente perder o interesse na compra são enormes. Então, a solução para uma navegação eficiente está em adotar os conceitos de usabilidade: destacar botões e links, elaborar uma arquitetura de páginas que faça sentido, otimizar o tempo de carregamento das páginas e simplificar o checkout, diminuindo ao máximo a quantidade de dados solicitados. 

4. Pagamentos

 

Oferecer soluções de pagamento que atendam à demanda do seu público é fundamental para converter. No Brasil, as opções mais utilizadas são cartão de crédito local, boleto bancário, cartão de débito, além do recém chegado Pix que está crescendo exponencialmente e  ganhando espaço nos e-commerces nacionais. Por outro lado, o cartão de crédito internacional, que ainda é necessário para compras em grande parte dos e-commerces estrangeiros, faz parte da vida de apenas 5% dos brasileiros. Mas existe outra forma de acessar esses consumidores, sem precisar abrir empresa no Brasil.

 

O Bexs Banco oferece soluções digitais de processamento de pagamento e câmbio para diversos setores, incluindo o e-commerce. Com o PayIn do Bexs, sua loja pode aceitar pagamentos de brasileiros e receber o dinheiro em qualquer banco do mundo. Da mesma forma, os consumidores também saem beneficiados. Seu e-commerce vai apresentar o preço dos produtos já convertido para reais, o que torna a venda muito mais clara. 

 

A integração de nossa plataforma pode ser realizada através de links de pagamento, embedded checkout ou integração de API. Converse com nossos especialistas e descubra qual é a melhor solução para sua loja virtual.

Últimas notícias

Receba informações do mercado, de investimentos e insights sobre tecnologia digital integrando pagamentos e câmbio

Suas informações estão seguras conosco :)