Pix para empresas: 3 motivos para aceitar essa forma de pagamento

13/05/2021

Descubra as vantagens do Pix para empresas e funções que vão além do pagamento instantâneo.

 

pix for business

O Pix é uma forma de pagamento criada no Brasil que está ressignificando as relações bancárias e de consumo. Lançado em novembro de 2020, o sistema de pagamentos instantâneos desenvolvido pelo Banco Central já possui mais de 206 milhões de chaves cadastradas. Já na primeira semana operando plenamente, R$9,3 bilhões foram movimentados, em 12,2 milhões de transações.

 

De acordo com o BC, 8 em cada 10 transferências já são feitas por meio do Pix, deixando os DOCs e TEDs – e suas tarifas – em segundo plano. As operações via Pix têm ticket médio de R$750, com aumento crescente nas transações P2B (person to business). Segundo o panorama Mobile Time/ Opinion Box, 73% dos brasileiros que possuem smartphone já utilizaram o Pix. 

 

São muitas as razões que nos fazem crer que o Pix veio para ficar. Assim como para o público em geral, também há muitas vantagens no Pix para empresas. A redução dos custos que ele proporciona e a simplificação do processo de pagamento estimulam o crescimento do consumo, que impacta diretamente no volume de vendas do comércio e na produção industrial. 

 

Ainda está em busca de incentivos ou não sabe como receber pelo Pix? Continue lendo esse artigo e conheça 3 bons motivos para adotar essa forma de pagamento.

 

1 – Pagamentos instantâneos: receba na hora

Antes do Pix, o varejista, seja no comércio tradicional ou no e-commerce, tinha que lidar com duas situações que representam um verdadeiro atraso. Quando o consumidor realiza o pagamento por meio de cartão de crédito ou de débito, o lojista pode ter que esperar até 45 dias para ter acesso ao dinheiro, dependendo do adquirente escolhido. 

 

Quando a escolha do cliente é o pagamento via boleto bancário, o tempo de compensação é menor, mas existe uma maior chance de o cliente desistir da compra, já que ele vai precisar deixar o ambiente da loja e acessar o banco para efetuar o pagamento. O prazo para concluir essa ação ,de cerca de três dias, é bastante longo quando falamos de e-commerce. Enquanto isso, o produto escolhido fica reservado para o cliente no controle de estoque do varejista. Essa prática é bem comum e pode gerar muito prejuízo, principalmente em datas movimentadas, como a Black Friday.

 

Por outro lado, a transferência pelo Pix cai na hora e funciona 24h, 7 dias por semana, tornando a transação mais rápida para todos os envolvidos. Com a compra aprovada imediatamente, o prazo de entrega também se torna mais curto, o que melhora a experiência do cliente. Já o lojista tem a vantagem de receber o dinheiro na conta em poucos segundos e, graças a eliminação de intermediários da transação, a taxa do Pix é bastante reduzida.

 

2 – O Pix é gratuito: amplie a base de clientes

Uma das principais barreiras para os empreendedores digitais é fornecer uma opção de pagamento inclusiva, sabendo que grande parcela da população não possui conta bancária, nem cartão de crédito. Segundo o Instituto Locomotiva, há 45 milhões de brasileiros nessa situação. Os desbancarizados são predominantemente pertencentes às classes C, D e E. No entanto, isso não significa que não exista intenção e poder de compra por parte deles, que movimentam cerca de R$800 bilhões por ano.

 

Cumprindo o propósito de promover a inclusão financeira, o Banco Central não restringiu o uso do Pix somente aos bancos tradicionais. Bancos digitais e plataformas de pagamentos, as chamadas carteiras digitais, também oferecem o serviço. Essas instituições cobram um número menor de documentos e são menos burocráticas que os bancos, daí a facilidade em conceder acesso a um público que os grandes bancos não conseguem atender.

 

Chave Pix: como funciona

A Chave Pix é a forma como a conta é identificada, facilitando as transações ao eliminar a necessidade de compartilhar dados bancários. Cada pessoa pode cadastrar até 5 chaves em instituições diferentes. Mas o que muita gente não sabe é que não é obrigatório o cadastro das chaves para utilizar o Pix, seja para enviar ou receber dinheiro.

 

Ou seja: se você opta por incluir o Pix como forma de pagamento em seu negócio, vai poder receber transferências – que vão ser feitas via TED ou DOC – de clientes que optaram por não cadastrar uma chave. Além de utilizar o internet banking, o cliente também pode efetuar o pagamento com Pix em caixas eletrônicos, lotéricas e agências bancárias.

 

Essa é uma alternativa mais econômica em relação à emissão de boletos, já que para emitir boletos registrados (obrigatórios desde 2018) é necessário pagar taxas ao banco, ainda que eles não sejam pagos. Para o consumidor, não há mudanças significativas no processo de pagamento, nem prejuízos.

 

3 – Pix Agendado, Pix Cobrança e mais: novas funcionalidades do Pix para empresas

 

A AgendaBC# é um programa criado pelo Banco Central para impulsionar a modernização do mercado financeiro no Brasil. Pensando em promover inclusão, transparência e segurança, o programa acompanha a transformação promovida pelas fintechs. O Pix é o principal produto da AgendaBC# até o momento e está prestes a ganhar novas funcionalidades, que prometem facilitar ainda mais a vida de empresas e consumidores.

 

Ainda em maio, começa a funcionar o Pix Cobrança, que vai garantir que varejistas e prestadores de serviços possam gerar um QR Code com vencimento em uma data futura. Até então, a única opção era o pagamento imediato. Assim como em um boleto, será possível incluir multas, juros e descontos.

 

Posteriormente, no segundo trimestre, mais uma novidade: o Saque Pix. Com ele, o usuário terá a opção de transferir dinheiro pelo aplicativo para lojas físicas cadastradas no sistema Pix e realizar o saque em espécie nesses estabelecimentos. A transação segue o padrão de instantaneidade e gratuidade, tanto para o consumidor quanto para o lojista. As vantagens também aparecem para ambos: pessoas físicas vão ter opções além dos bancos e caixas eletrônicos para sacar dinheiro, enquanto as lojas ganham mais movimento.

 

2022: Pix para empresas com parcelamento e internacionalização

 

Para o ano que vem, mais duas mudanças estão previstas. Com lançamento previsto para o início de 2022, o Pix Garantido já vem sendo chamado de “novo cartão de crédito”. A alcunha surgiu porque os consumidores terão a opção de parcelar suas compras. Diferente do que já acontece na função agendamento, com o Pix Garantido o recebedor fica ciente dos pagamentos pendentes. É possível que haja um banco intermediando a transação, para garantir que o varejista receba o valor das parcelas, inclusive de forma antecipada. As regras para essa nova modalidade vão ser discutidas a partir de julho de 2021.

 

Tornando a cartela de serviços ainda mais completa, é possível que o Pix passe por um processo de internacionalização. Além do Brasil, os pagamentos instantâneos chegariam a outros países. O Pix internacional ainda está em fase de estudos. Sua implantação depende da aprovação da nova lei cambial, que ainda tramita no Congresso.

 

Bexs é seu parceiro para pagamentos no Brasil

Fornecer uma experiência local de pagamento, como o Pix,  é fundamental para conquistar clientes brasileiros. Por meio do fluxo de PayIn do Bexs, você pode acessar esse mercado sem ter que abrir uma entidade local, recebendo o valor de suas vendas em qualquer banco do mundo. Já através da solução de PayOut, pessoas e empresas do Brasil recebem valores vindos do exterior de forma instantânea com o Pix. Entre em contato com nossos especialistas e conheça nossas soluções.

Últimas notícias

Receba informações do mercado, de investimentos e insights sobre tecnologia digital integrando pagamentos e câmbio

Suas informações estão seguras conosco :)